Os acidentes de trânsito representam uma das maiores causas de morte e invalidez no Brasil. Seja em capitais ou no interior, famílias inteiras são afetadas pela imprudência ao volante, desrespeito às leis de trânsito e estradas malconservadas.

Para tentar conscientizar a população sobre essa tragédia nacional, a campanha Maio Amarelo 2019 traz o tema “No Trânsito, o Sentido é a Vida”. O foco será em ações e difusão de conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige.

A campanha foi aprovada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e sugerida pelo Observatório Nacional de Segurança Viária. As ações buscam motivar atitudes seguras no trânsito como não dirigir depois de beber e não desrespeitar os limites de velocidade.

O Hospital Estadual de Pirenópolis Ernestina Lopes Jaime (HEELJ) abraça essa causa e alerta a população sobre o assunto.

 

Números de Goiás

Em Goiás, as mortes por acidente de trânsito caíram 8,36% entre os meses de janeiro a abril de 2018, em relação ao mesmo período de 2017. Foram 303 vítimas em 2018, contra 335 em 2017. Em Goiânia, 70% dos óbitos em acidentes são de motociclistas.

Conforme o Data SUS, as ações de fiscalização, como as blitzen noturnas e os radares, e as de educação no trânsito, têm conseguido frear o aumento das mortes nas ruas e estradas do Brasil. Em 2017, os óbitos no trânsito totalizaram 1.631. Em 2016, foram 1745; em 2015, 1864; e 2110 óbitos em 2014.

Conforme o painel de dados estatísticos da Secretaria da Segurança Pública do Estado de Goiás (SSPGO), a maior parte dos casos aconteceu no período entre sexta-feira e domingo. Os dados são do Departamento de Polícia Rodoviária Federal.

 

Acidentes no mundo

Em relatório global, divulgado em dezembro de 2018, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que os acidentes no trânsito mataram 1,35 milhão pessoas no ano passado. O texto aponta também como a principal causa de morte de pessoas entre 5 a 29 anos.

No documento, o Brasil aparece na pior classificação referente ao limite de velocidade em áreas urbanas. A recomendação é de 50 km/h nas cidades, caindo para 30 km/h em áreas residenciais ou com grande circulação de pessoas.

Ajustar fonte