Uma dieta balanceada, que inclua o consumo de vegetais e evite a ingestão de alimentos embutidos e processados, tem influência comprovada cientificamente na proteção contra várias doenças, inclusive o câncer.

Quando combinada a outras práticas, como exercícios físicos e controle de peso, a alimentação saudável pode diminuir em até 40% as chances de a doença aparecer.

A importância de uma alimentação saudável

O ideal é uma alimentação equilibrada rica em legumes e verduras, com atenção especial para aqueles alimentos que estimulam a renovação celular e são antioxidantes. Bons exemplos são as nozes e amêndoas ou as frutas cítricas.

Isso acontece porque o consumo adequado de vitaminas, fibras e outras substâncias colabora para evitar alterações celulares e ajuda na defesa natural do corpo contra agentes cancerígenos antes que eles provoquem danos às células. Quanto mais cedo o indivíduo começar a comer corretamente, melhores são os efeitos a longo prazo.

Alimentos que ajudam no combate ao câncer

As frutas, verduras e legumes em geral, aumentam nosso sistema imune e ajudam a combater diversas doenças. Porém, alguns alimentos possuem características especiais que ajudam diretamente na prevenção do câncer:

  • Agrião: contém compostos índoles, conhecidos por sua capacidade anticancerígena;
  • Gengibre: tem alto teor de vitamina C que é capaz de levar as células cancerígenas à morte;
  • Alcachofra: contém inulina, um prebiótico importante contra o aparecimento de câncer do trato gastrointestinal;
  • Alho: rico em compostos sulfurados que inibem o metabolismo da célula cancerosa;
  • Couve-flor: rica em compostos índoles, protegem principalmente contra o câncer de mama;
  • Ovo: rico em zeaxantina e luteína, dois importantes antioxidantes que evitam a doença.

Alimentos que precisamos evitar

Assim como há alimentos que ajudam a evitar o câncer, existem outros que colaboram para o aumento das chances de câncer, como:

  • Carne vermelha: elevam o risco em 35%. Por isso, é aconselhável ingerir 500 gramas por semana nas versões assadas e cozidas;
  • Embutidos como linguiça, salsicha, presunto, salame e peito de peru também aumentam as chances e devem ser evitados;
  • Sal e alimentos conservados no sal. A quantidade de sódio deve ser reduzida ao máximo e substituída por outros tipos de temperos;
  • Alimentos ultra processados, como refrigerantes, fast foods e congelados prontos: além de possuir muito sódio, esses alimentos não contribuem em nutrientes.

O poder dos exercícios físicos regulares

Em conjunto a alimentação, a prática de exercícios físicos é essencial para a prevenção e controle do câncer. Ela promove o equilíbrio dos níveis hormonais; reduz o tempo de trânsito gastrointestinal; fortalece as defesas do organismo; e ajuda a manter um peso corporal saudável. Lembrando que a obesidade é um dos principais fatores de risco para a doença.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda, pelo menos, 150 minutos semanais de atividade aeróbica moderada para adultos. O ideal é escolher atividades que sejam prazerosas para você, como pedalar, dançar, nadar ou jogar futebol.

Pequenas mudanças já podem influenciar no seu bem-estar e na prevenção do câncer. Caminhar ou ir de bicicleta ao trabalho ou à aula; usar as escadas ao invés do elevador; descer do ônibus um ou dois pontos antes do destino e outras pequenas mudanças diárias já podem deixar sua vida mais saudável.

Relação entre cigarro e câncer

De acordo com o ministério da saúde, como fonte o site do Instituto Nacional do Câncer, o cigarro é responsável por mais de 200 mil mortes por ano no Brasil: cerca de 23 pessoas morrem devido ao cigarro por hora.
Além do câncer de pulmão, o hábito de fumar causa outras doenças, como câncer de boca, câncer de laringe, câncer de estômago, leucemia, infarto, renite alérgica, úlcera do aparelho digestivo, infecções respiratórias, bronquite, trombose vascular e impotência sexual.

Ajustar fonte