De 2013 para cá, o número de picadas de escorpião subiu de 78 mil para 125 mil. Isso representa um aumento de quase 60%. O número de óbitos causados por esse animal aumentou ainda mais, 163%. Só em 2017, foram 184 mortes no Brasil.

A preferência dos escorpiões pelos centros urbanos, locais com saneamento precário e toneladas de lixo, fazem com que sua proliferação seja rápida e de difícil controle.

Sintomas

A maioria dos casos é de picadas nos pés e nas mãos. A pessoa picada, imediatamente, passa a sentir dor intensa no local. Essa sensação logo se irradia para os demais membros do corpo. Podem aparecer outros sintomas que ainda são considerados leves, como vermelhidão, inchaço e febre.

Em casos mais graves, porém, o quadro pode evoluir para náuseas, vômitos, dor abdominal, sudorese excessiva, taquicardia, salivação fora do normal, agitação ou prostração, perda do controle cognitivo, insuficiência cardíaca, edema pulmonar e choque.

Como manter o ambiente limpo e livre dos escorpiões

  • Não acumule lixo e entulho: eles se alimentam de baratas. Portanto, é importante manter um ambiente limpo;
  • Tampe ralos e buracos: tampas e redes podem impedir que os escorpiões saiam do subterrâneo;
  • Sacuda roupas e sapatos antes de vesti-los: observar se há escorpiões escondidos em roupas e sapatos, principalmente nessa época, é essencial para evitar picadas.

A recomendação, em caso de ferroada, é procurar o serviço de saúde mais próximo. Limpar o local da picada com água e sabão pode ser uma medida auxiliar, desde que não atrase a ida da pessoa ao posto de atendimento.

Ajustar fonte