O autismo, ou Transtorno do espectro autista (TEA), é um transtorno neurológico que afeta o desenvolvimento do cérebro e complica o comportamento de comunicação e socialização. Apesar de ter sido descoberto há mais de cem anos, ainda há pouca informação médica a respeito e muitas pessoas têm dúvidas sobre o assunto.

Por isso, desmistificamos alguns dos mitos mais comuns sobre o autismo:

É uma doença psicológica ou psiquiátrica

Autismo não é uma doença ou um problema psicológico como se pensava antes. Trata-se de uma alteração no desenvolvimento do cérebro que se inicia na gravidez e pode se manifestar nos primeiros anos de vida da criança.

Pessoas autistas não tem sentimentos

Ainda que não seja fácil eles demonstrarem as emoções, as pessoas com autismo também choram, riem, se alegram e se entristecem, como qualquer outro ser humano.

A desatenção dos pais causa o autismo

A autismo não tem relação com a falta de atenção dos pais ou com qualquer tipo de educação que a criança receba.

Pessoas com autismo são gênios ou têm atraso mental

Eles não têm inteligência acima ou abaixo da média.

A alimentação influencia para que uma criança seja autista

Ainda que alguns pensem que uma dieta distinta evitará que os filhos fiquem expostos a substâncias tóxicas, que são associadas às causas do problema, o que a criança come não causa autismo.

Vacinas causam autismo

A aplicação de vacina não tem relação nenhuma com o desenvolvimento do transtorno. O problema neurológico começa no útero da mãe e não por um fator externo depois do nascimento.

Uma pessoa autista será dependente a vida toda

Se uma criança com autismo recebe atenção e estimulação desde cedo, poderá ser um adulto autossuficiente e capaz de estabelecer relações sociais. O preconceito está na nossa cabeça!

Ajustar fonte