A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, assim como a dengue, zika vírus e chikungunya.

O Brasil vem enfrentando um surto de febre amarela desde 2016, envolvendo principalmente os estados da região Sudeste.

Essa doença possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. Os casos atuais são de residentes em zonas rurais ou que tiveram contato com áreas silvestres por motivo de trabalho e lazer.


Sintomas da fase inicial

[bs_row class=”row”]
[bs_col class=”col-sm-12″]

  • Dores de cabeça
  • Febre
  • Perda de apetite
  • Náuseas e vômitos
  • Dores Musculares, principalmente nas costas

[/bs_col]
[/bs_row]


Casos Graves

A maioria das pessoas melhora após esses sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresenta um breve período de melhora e depois desenvolve a doença de forma mais grave. Nesses casos, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (pele e olhos amarelados), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos, levando à morte..

A Vacina

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece vacina contra febre amarela. Toda pessoa de nove meses a 60 anos; que reside em áreas de recomendação da vacina ou que vai viajar para essas áreas, deve se imunizar.

Prevenção contra o Aedes aegypti

É importante que toda a população brasileira continue na luta contra o mosquito. Devemos manter os mesmos cuidados: tampar caixas e barris d’água, não deixar água parada e utilizar repelente, principalmente em áreas de risco!

Ajustar fonte