No último domingo, Pirenópolis foi palco para um de seus eventos mais populares e tradicionais, as Cavalhadas, festa tombada como patrimônio imaterial brasileiro pelo  IPHAN. O evento movimenta a cidade todos os anos, e recebe um grande fluxo de turistas nacionais e internacionais. Este ano, estiveram presentes 10 embaixadores.

Pensando no bem estar dos cidadãos e visitantes, o Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), em parceria com a 11 ª Companhia Independe do Corpo de Bombeiros, a Secretaria Municipal de Saúde e o Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH), organizou um espaço para o atendimento das intercorrências  durante os três dias de evento.

Sobre as Cavalhadas

As Cavalhadas de Pirenópolis simbolizam o momento da distania carolíngia, pelo fim do século VII d.C., quando o cristão Carlos Magno investiu contra os sarracenos (islâmicos) que tentavam invadir o sul da França. O evento é marcado na história como uma mostra da bravura e lealdade cristã.

No Brasil, a encenação dramática foi autorizada pela Coroa ainda durante a colonização e introduzida na cidade de Pirenópolis em 1826 pelo Padre Manuel Amânico da Luz com o espetáculo “O Batalhão de Carlos Magno”. A encenação tornou-se uma tradição na cidade por sua beleza e capacidade de unir os moradores em prol da realização de um mesmo acontecimento.

A unidade médica esteve em perfeito funcionamento durante os três dias de evento, com o reforço nas escalas de trabalho. Vários pacientes tiveram a oportunidade de serem atentidos, inclusive os encaminhados pela equipe de plantão na arena.

Estiveram presentes ainda conferindo in loco esta ação o vice-governador Jose Eliton, representando o governador Marconi Perillo, em visita a arena;  além o prefeito João Batista Cabral e a diretoria do Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime.

Ajustar fonte