O mês de abril também é marcado pelo Dia Mundial da Conscientização do Autismo que afeta mais de dois milhões de brasileiros. Tomando a frente, a Prefeitura de Pirenópolis, através da Secretaria de Educação do município e com o apoio do Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), realizou um evento na última sexta-feira, 7 de abril, às 19h30, no Cine Pireneus. Mais de 200 pessoas participaram, excedendo o limite de cadeiras disponíveis no teatro.

De acordo com o médico psiquiatra Jairo Belém, que ministrou uma palestra de conscientização sobre o tema, a informação é fundamental para impedir que as pessoas com autismo sejam separadas do convívio social. “Uma pessoa a cada mil nasce com esse problema que é uma condição e não uma doença. E, em sua maioria, são pacientes que podem contribuir para a sociedade se receberem o estímulo correto”, explicou.

O autismo é um transtorno global do desenvolvimento marcado pela inabilidade para a interação social, dificuldade em comunicar-se e padrão de comportamento repetitivo. Existem diferentes graus de comprometimento, desde quadros em que a fala e a inteligência não são afetados, até formas graves em que o paciente é incapaz de qualquer contato com outras pessoas. Jairo Belém exemplifica o caso do físico Albert Einstein, diagnosticado com autismo. “Imagina se ele tivesse sido isolado, não teria contribuído como o fez”, afirmou.

O evento foi aberto ao público e contou com a presença do secretário de Saúde de Pirenópolis, Junior Pereira de Siqueira; da secretária de Educação do município, Tereza Caroline Lobo; o presidente da Câmara de Vereadores, Vereador Marcelo Louredo da Cunha; a vereadora de Anápolis professora Gely; representantes da Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Anápolis; além do Diretor Geral do HEELJ, Hondinelly Santana de Melo; professores e diretores das escolas de Pirenópolis.

Ajustar fonte