Pode-se dizer que a vida de um edifício tem duas fases: a sua construção e o uso. Cuidar de toda a infraestrutura de um edifício é ainda ter atenção com o sistema elétrico, hidráulico, segurança e climatização. Pensando nisso, o Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), em Pirenópolis, inaugurou uma sala para a engenharia clínica. Ela funcionará junto a Sala de Manutenção do HEELJ.

Para Nilson Braz, encarregado pela manutenção, a sala possibilitará que os técnicos atendam às necessidades do Hospital. Com o Plano de Manutenção vigente, o Hospital terá maior controle no gerenciamento das manutenções preventivas, corretivas, segurança elétrica e calibrações com o objetivo de aumentar a vida útil dos EMH (Equipamentos Médicos Hospitalares).

Nesse sentido, o Engenheiro Clínico também atuará na implementação de novas tecnologias melhorando o atendimento. Com as inspeções e verificações constantes, o HEELJ evitará custos desnecessários com reformas garantindo a tranquilidade para pacientes e colaboradores. “Isso é sinônimo de economia e investimento, relacionados à segurança e saúde”, diz Nilson.

Agora, a grande maioria das manutenções poderão ser realizadas dentro da Unidade, lembrando ainda que o HEELJ possui back-up de uma gama de equipamentos que são vitais para o atendimento de pacientes críticos.

 

Atribuições da engenharia clínica

Dentre as diversas atribuições dos serviços de engenharia clinica estão o controle dos equipamentos médico-hospitalares e seus componentes e dos contratos de manutenção preventiva ou corretiva; o auxílio na aquisição e aceitação de novas tecnologias; o treinamento de pessoal para operação dos equipamentos; a manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos e a fixação de medidas de controle e segurança do ambiente hospitalar. Uma equipe de técnicos são capacitados para prestar os serviços.

“Diariamente temos técnicos à disposição, realizando check-lists nos equipamentos dos diversos setores da Unidade. O órgão estadual responsável pela avaliação e controle das empresas de manutenção é a Agência Goiana de Regulação (AGR) que nos visita e avalia de dois em dois meses”, afirma Nilson.

 

Novo Bloco Administrativo

Tendo em vista a necessidade de ampliação do número de leitos, uma vez que o bloco cirúrgico da Unidade está realizando várias cirurgias de médio porte, de acordo com o grau de complexidade estabelecido para o HEELJ, um novo Bloco Administrativo está em vias de ser inaugurado. “Este novo espaço terá área construída de 150m² e abrigará todos os setores administrativos do Hospital, incluindo SAME, sala de reunião, recursos humanos, departamento de pessoal, equipe multidisciplinar, faturamento, humanização e qualidade”, pontua Braz.

 

Ajustar fonte