Dentro do propósito de gerar bem-estar àqueles que carecem de um acompanhamento médico regular; o Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), de Pirenópolis, tem marcado presença constante na Aldeia da Paz. O local é o lar de 22 idosas. A ação faz parte do Projeto HEELJ Mais Próximo de Você que, desde o dia 1o de dezembro, tem levado atendimento especializado às residentes da Aldeia.

O primeiro dia de atividade contou com a presença do otorrinolaringologista Mauro Gamero que, junto a técnica de enfermagem Carlinda Moisés da Cruz, realizou exames com as moradoras. No dia seis foi a vez de especialistas em infectologia e geriatria atenderem no local. O infectologista e diretor técnico do HEELJ, Deybson Augusto dos Santos, explicou que todas as idosas da Aldeia da Paz receberam atendimento. “O trabalho nos ajuda a conhecer melhor essas pacientes. Aproveitamos para receitar e atualizar medicações de algumas que são acompanhadas por nossa equipe”, disse.

O diretor técnico informou que a Aldeia da Paz receberá o atendimento de outras especialidades e a coleta de materiais para exames laboratoriais, ainda em dezembro.

Além de oferecer o atendimento direto na residência das pacientes, o Projeto HEELJ Mais Próximo de Você proporciona um dia diferente para toda a comunidade. São orientações, dicas de saúde e muita conversa, cuidados e atenção. O Projeto é preventivo e qualquer necessidade de novo atendimento ou procedimento especializado tem seu encaminhamento já feito na hora, facilitando a vida de todos os envolvidos.

A atividade evita que haja deslocamento ao Hospital, acelerando o atendimento daqueles que buscam a Unidade. “A maioria daquelas senhoras já frequenta o Hospital, muitas com especialistas. Nossa ida evita um desgaste e o desconforto para elas de terem que se deslocar mais uma vez”, destacou Augusto.

Ampliação do Projeto

Depois de cumprir a agenda na Aldeia da Paz, a equipe do HEELJ vai ampliar o Projeto. O próximo município beneficiado será Corumbá de Goiás; mas ainda há outras 11 cidades que compõem a regional Pireneus que poderão ser visitadas. “Atenderemos nas casas de acolhimento a idosos e nos centros psiquiátricos”, resume.

Ajustar fonte