Vestidos como palhaços, os três voluntários percorreram as alas administrativas e assistenciais do Hospital Estadual de Pirenópolis Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), cantando, brincando e distribuindo sorrisos para colaboradores, paciente e acompanhantes. A iniciativa visa comemorar o Dia do Riso dentro do ambiente hospitalar.

Adriana Fleury, coordenadora de gestão de pessoas, foi uma das voluntárias que se vestiu de palhaço. Ela explica que a ideia foi utilizar o elemento surpresa. “Disseminamos a cultura do riso e sua importância no tratamento dos pacientes bem como na gestão dos colaboradores. Trazer alegria é importante no processo de atendimento humanizado previsto também na missão da Unidade”, destacou Adriana.

O riso é terapêutico e pode ajudar na motivação das equipes médicas de enfermagem, técnicos e recepcionistas, além disso, é um importante alinhado na recuperação do paciente. Leda Vasconcelos, diretora administrativa/financeira, destaca que ações de humanização no ambiente hospitalar propiciam, a pessoa enferma, consolo e bem estar. “A diretoria do HEELJ trabalha para que a unidade se torne um ambiente agradável e contribua de forma positiva para a melhora dos pacientes”, destacou.

“Para nós foi muito gratificante em trazer aos pacientes e colaboradores uma distração para alegrar a vida por alguns instantes. Receber de Dnª F. M. S. G. de 73 anos, acamada e hemiparética, um belo sorriso e ainda levantar-se com auxílio do fisioterapeuta Diogenes Cruz, foi imensamente satisfatório. Me sinto honrada com esse trabalho”, destacou a equipe de humanização do HEELJ formada pela Gisela Jayme e Amarantha Pina.

Para José Igor Ferreira, supervisor de Educação Continuada, o dia do riso entrou para a história do HEELJ como mais um grande feito. “Trouxemos uma forma de analgesia diferente, onde durante os risos e gargalhadas, nós liberamos hormônios da felicidade, como a endorfina. Isso auxilia na terapêutica, reduz o estresse e ansiedade, relaxa os músculos, melhora o humor, fortalece nossos relacionamentos, aprimora o trabalho em equipe, entre outros benefícios”, comentou José.

“Pacientes e familiares sentem-se amparados quando são dispensados atendimentos além das terapias medicamentosas, com ações e visitas de profissionais personalizados, despertando o riso, isso ajuda amenizar os desconfortos gerados pela doença”, finalizou Leda Vasconcelos.

Ajustar fonte