Em alusão ao Dia Mundial do Diabetes, o Hospital Estadual de Pirenópolis Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), promoveu um evento gratuito, no jardim externo da Unidade, para a realização de testes de HGT. Organizada pelo setor de Humanização do Hospital, a ação ocorreu no dia 14, quarta-feira.

Além dos testes rápidos, que verificam a glicemia capilar e a pressão arterial, houve orientação e atendimento gratuito à população. Dicas de prevenção e explicações sobre as causas e os fatores de risco do diabetes foram esclarecidos pelas enfermeiras que ficaram a disposição durante todo o dia.

Como explica a técnica de enfermagem Ana Pereira de Souza, o teste do nível de glicose é realizado rapidamente através de um aparelho digital e o resultado é liberado na mesma hora. “Verificamos o HGT e a pressão arterial; caso haja alteração, anotamos o nome completo do usuário, a data de nascimento e um telefone, que vai ser passado para a endocrinologia aqui da Unidade. Assim, é possível iniciar o acompanhamento do usuário”, afirma.

Doença silenciosa

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), o problema atinge 12 milhões de pessoas no País. A metade delas não sabe disso. “Há muitos casos de paciente com pressão alta e diabete alterada e não sabem. Este tipo de ação chama muito atenção. Muitos vem por curiosidade e acabam fazendo os testes”, pontua a enfermeira.

Se o diabetes não for tratado, pode causar danos ao coração, rins e problemas de circulação. Pode até causar cegueira ou mesmo a amputação de um dos membros. “Quanto mais cedo for diagnosticada a doença, melhor. Por isso, é importante fazer o controle das taxas de glicose no sangue com regularidade”, alerta a enfermeira.

A coordenadora de enfermagem, Luana Mendes Costa, ligada diretamente à educação continuada, alerta ainda sobre os riscos elevados de uma diabete do tipo 2. É o caso de 90% dos diabéticos e ainda mais silenciosa. “Geralmente nestes casos, os diabéticos não notam. Atualmente é uma doença mundialmente conhecida, temos mais de 400 milhões no mundo que sofrem com ela. O intuito dessa ação é sensibilizar a população e os governantes para se manterem em alerta. Buscar atendimento, fazer o controle glicêmico”, ressalta Luana.

No dia da ação, casos em que foi constatada qualquer alteração nos exames foram encaminhamos para o atendimento ambulatorial e para imediata realização de exames. “Assim, podemos fazer a verificação do problema ou até mesmo descartá-lo”, relata Luana.

Ajustar fonte