Mesmo com a vacina disponível há quase 70 anos, de 2007 a 2016 2939 brasileiros foram infectados pelo tétano. Desses, 973 faleceram por conta da doença.

O tétano é causado pela bactéria Clostridium tetani. Ela pode ser encontrada no solo, poeira, água contaminada e fezes de animais, além de objetos de metal enferrujados.

Contaminação

A infecção por tétano começa quando os esporos da bactéria transmissora entram no corpo por meio de uma ferida ou um ferimento. Lá, eles liberam bactérias que se espalham pela corrente sanguínea e produzem um veneno chamado tetanospasmina.

Esse veneno bloqueia os sinais neurológicos da coluna vertebral para os músculos, causando espasmos musculares intensos. Os espasmos podem ser tão fortes que rompem os músculos ou causam fraturas na coluna.

Fatores de risco

Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento do tétano:

  • Não ter tomado as doses da vacina ou a dose de reforço;
  • Estar infectado com outra bactéria;
  • Apresentar uma ferida ou um ferimento na pele, causado por objetos enferrujados ou sujos;
  • Inchaço ao redor da ferida.

Sintomas e tratamento

O tempo entre a infecção e os primeiros sinais de sintomas é geralmente de uma a três semanas. Por isso, é importante procurar um médico assim que o ferimento acontecer, para tratar antes que a doença apareça.
Os principais sintomas são:

  • Espasmos e rigidez no maxilar
  • Rigidez nos músculos do pescoço, nuca e abdômen
  • Espasmos corporais que causam dor
  • Febre
  • Batimentos cardíacos acelerados

A vacina ainda é a melhor forma de prevenção. Tome as doses de reforço, limpe ferimentos com água e sabão, e consulte um médico em casos de acidentes suspeitos.

Ajustar fonte